Anti-militarização

México

Movimento selecionado pelo
Apoio para Movimentos Sociais

Organização coletiva contra a militarização no México

Objetivo

O processo liderado por um grupo de organizações, ativistas e acadêmicos, visa gerar alianças e ampliar a visão para influenciar a opinião pública, o poder legislativo federal e o judiciário sobre os problemas que o avanço da militarização no México traz, particularmente para setores vulneráveis da população.

Contexto

O opaco processo de militarização da administração pública atinge diversos grupos de pessoas; migrantes, pessoas deslocadas pela violência, mulheres, pessoas em busca de parentes desaparecidos, jornalistas e acadêmicos que foram censurados ou perseguidos por denunciar abusos por parte das forças armadas e até mesmo aqueles que trabalham nas forças policiais civis deterioradas do país. Os riscos da militarização se refletirão na deterioração das garantias dos direitos humanos, como a perda do controle democrático nas mãos das milícias, prisões arbitrárias ou deslocamentos forçados.

Consequências negativas que não abordar esta questão pode trazer:

  • Descumprimento de prestação de contas sobre os poderes que as Forças Armadas têm na administração pública federal;
  • Que os direitos humanos das populações vulneráveis ​​sejam postos em risco devido a prisões arbitrárias e abuso de poder;
  • Ao ter um país militarizado, perdem-se liberdades e direitos normalmente garantidos em uma democracia, devido ao poder coercitivo das forças armadas;
  • Que sejam concedidos poderes de gestão da segurança interna que legal e institucionalmente não correspondam às forças armadas.

Caminho de ação

O movimento busca articular diferentes setores e públicos especializados no país, conscientizar os cidadãos sobre os riscos do aprofundamento da militarização na segurança e na vida pública, bem como propor soluções alternativas que possam ser adotadas pelos governos.

  • O grupo de organizações coordena espaços de discussão com organizações nacionais e internacionais. Paralelamente, cria uma estratégia de comunicação e incidência para definir públicos e analisar quais marcos políticos podem ser usados ​​para desenhar a campanha;
  • Realiza-se pesquisa e análise de políticas públicas, bem como análise das consequências do processo de militarização e da experiência de pessoas que enfrentaram regimes antidemocráticos na região.

Plano de ação

  • Ter materiais de divulgação sobre as consequências da militarização no México para conscientizar a população;
  • Ter espaços de diálogo com atores e organizações internacionais;
  • Estabelecer alianças estratégicas entre organizações e governo local e federal para propor soluções.