Skip to main content

Histórico Infraestructuras Cívicas

Infraestruturas cívicas na América Latina promovendo práticas democráticas na região

Entre 2017 e 2019, a Fundación Avina e a Open Society Foundations (OSF) uniram esforços para acompanhar o fortalecimento e consolidação de infraestruturas cívicas[1] e movimentos sociais emergentes no México, Colômbia e Brasil; para incentivar os cidadãos a estabelecerem acordos políticos mais inclusivos e mais representativos; e para transformar as relações de poder buscando ocupar espaços de tomada de decisão que lhes permitam traduzir suas demandas em mudanças tangíveis nas políticas públicas.

Duas linhas de atuação marcam esse trabalho:

  1. Infraestruturas cívicas capazes de transformar políticas públicas e práticas democráticas na região.
  2. Redes de atores e lideranças propondo novas formas de atuação e participação na política

Essas estruturas cívicas visam à construção de espaços alternativos de participação política e à transformação do status quo, promovendo práticas de transparência, horizontalidade, deliberação inclusiva e co-criação de agendas.

Isso abriu  possibilidades de construção e ação política para os cidadãos. Além disso, esses movimentos basearam sua atuação em plataformas tecnológicas e ferramentas digitais, ampliando assim as possibilidades de participação e mobilização cívica. Em resumo, são atores que reformularam e reestruturaram a vida política e democrática moderna.

Processos 2017-2019

Colômbia

01. Mapeamento de infraestruturas cívicas na Colômbia em parceria com Seamos Democracia Digital
Mapeamento em cinco cidades para identificar práticas realizadas por atores de organizações, movimentos e partidos no cenário político e social de 2018. Esse exercício deu origem à Rede In-Visibles (Invisíveis) e à Rede Nacional Nosotras Ahora (Nós - mulheres - Agora).
Colômbia

02. Red-Invisibles (Rede Invisíveis)
Sistema de organizações e lideranças que forma um espaço no qual é possível identificar o potencial de criação de agendas coletivas e construção de relações que permitam que essas agendas cheguem aos tomadores de decisões.
Colômbia

03. Rede Nacional de Incidência Política “Nosotras Ahora”
Espaço para a promoção de lideranças políticas de mulheres na Colômbia. Esta rede tem como objetivo articular pessoas e experiências visando à divulgação e troca de conhecimentos e ferramentas que permitam aumentar o número de mulheres que ocupam cargos de tomada de decisão.
Colômbia

04. Ocupar a Política – Conselho de Bogotá
Processo que teve com objetivo enfrentar dois obstáculos para a renovação política: a falta de articulação entre iniciativas e a falta de experiência e capacidades no desenvolvimento de campanhas e uso de tecnologias cívicas.
Brasil

05. Ocupa Política
Processo que conta com a participação de muitas organizações políticas e sociais, movimentos cidadãos, coletivos e partidos políticos independentes, com a missão de transformar a forma de fazer política, de aproximar a política dos cidadãos e de ocupar os espaços de tomada de decisão.
México

06. Formação de espaços de criação de agendas coletivas para transformar as práticas políticas
A construção da Rede de Sintonias, como resultado do processo Por México Hoy (“pelo México hoje”) promovido por organizações e movimentos jovens, criou estratégias coesas de advocacy e apostou na divulgação de uma agenda transformadora visando alcançar as autoridades federais.
Brasil

07. Escola de Formação Democrática
A Escola de Formação Democrática, organizada pelo Instituto Update em parceria com a CHAMA Agencia-red, juntamente com outras organizações, formou e treinou jovens para as campanhas políticas das eleições de 2018.

[1] Estruturas cívicas com um imaginário mobilizador, uma estrutura adequada e formalizada, com um projeto ético – político mobilizador, e com história, identidade coletiva e relações sociais compartilhadas e contínuas em espaços compartilhados. Estes elementos são especialmente importantes para a ação coletiva que nasce de um objetivo em comum, da solidariedade e de habilidades para promover a mudança social.