O QUE É PULSANTE

Pulsante busca ampliar o espaço cívico por meio da consolidação de uma cidadania ativa que possa influenciar as relações de poder e incluir vozes tradicionalmente excluídas, contribuindo assim para melhorar a qualidade das democracias.

Para alcançar este objetivo, 3 milhões de dólares foram investidos durante o período 2020-2023 na região com o objetivo de:

Promover a participação coletiva e inclusiva.

Conferir escala e experimentar práticas democráticas inovadoras (online/off-line).

Fortalecer a capacidade de grupos, organizações e movimentos.

A iniciativa é resultado da parceria entre Luminate, Open Society Foundations (OSF) e Fundación Avina, com sua experiência no trabalho sobre o empoderamento dos cidadãos e ampliação do espaço cívico na América Latina.

Por um lado, temos as lições aprendidas a partir do trabalho de Luminate e Fundación Avina na Aliança para a Tecnologia Cívica (ALTEC) que desde 2012 apoiou mais de 50 projetos em 14 países da América Latina voltados para melhorar a mobilização e ação coletiva visando à construção de sociedades mais justas, abertas e inclusivas.

Por outro lado, temos as lições aprendidas a partir da parceria entre  OSF e Fundación Avina, que, entre 2017 e 2019, trabalhou no Brasil, México e Colômbia em mais de 10 processos de empoderamento cívico e político, promovendo a inclusão dos cidadãos em espaços de tomada de decisão, elaboração e execução de políticas públicas.

NOSSO TRABALHO

Nossa missão é acompanhar, ampliar e consolidar grupos, organizações e movimentos sociais que desenvolvem práticas inovadoras de ação coletiva virtual e presencial (online e off-line) que possam contribuir para a criação de condições que ampliem o espaço cívico e influenciem nas relações de poder. Fortalecendo, assim, a democracia na América Latina.

Eixo 1)

Cidadania Ativa

Incentivamos o envolvimento das pessoas de maneira organizada para intervir, mudar e influenciar seu ambiente político e social. Este envolvimento permitirá transformar as relações de poder e ampliar os espaços de trabalho coletivo e a criação de agendas públicas que realmente traduzam as necessidades e interesses de uma cidadania diversa.

Por meio da cidadania ativa, buscamos o exercício e garantia de

a) Liberdades civis, acesso a informações, liberdade de associação e proteção de ativistas, jornalistas e filtradores.
b) Tecnologia inovadora, para a mobilização e desenho de campanhas para a proteção dos direitos humanos.
c) Participação cidadã por meio de mecanismos de participação institucionalizados, iniciativas lideradas pelos cidadãos e inclusão de grupos marginalizados.

Eixo 2)

Conferir escala para inovações digitais e democráticas

Facilitamos a criação de mecanismos e ações que permitem que os cidadãos se envolvam nas decisões coletivas que afetam a seus direitos, a qualidade dos serviços públicos que eles necessitam e a prestação de contas de seus governos.

Apostamos na combinação de inovações digitais, inseridas em estratégias integrais, com mobilizações presenciais, que criam um ambiente poderoso para melhorar estruturas e processos que permitam uma participação mais ativa e direta dos cidadãos nos assuntos públicos.

CONSELHO ASSESSOR

Ana Carolina Evangelista

Cientista política com mestrado em relações internacionais pela PUC-SP e em gestão pública pela FGV-SP. Foi pesquisadora visitante da SciencesPo...

é cientista política com mestrado em relações internacionais pela PUC-SP e em gestão pública pela FGV-SP. Foi pesquisadora visitante da SciencesPo em Paris (França). Atualmente é doutoranda no Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (FGV CPDOC) e diretora executiva do ISER – Instituto de Estudos da Religião – no Rio de Janeiro (Brasil), onde também é pesquisadora na área de religião e espaço público. Dedica-se a pesquisas sobre inovação democrática na América Latina, o sistema político brasileiro, eleições e o papel de grupos religiosos na política.

Bernardo Gutiérrez

Jornalista, escritor e pesquisador hispano-brasileiro. Mestre em Belas Artes com uma pesquisa sobre estéticas do protesto e da ação coletiva, Bernardo...

é um jornalista, escritor e pesquisador hispano-brasileiro. Mestre em Belas Artes com uma pesquisa sobre estéticas do protesto e da ação coletiva, Bernardo é autor da maior pesquisa tecnopolítica sobre América Latina (OXFAM). Publicou os livros Calle Amazonas (Barcelona: Altaïr, 2010), #24H (Barcelona: Dpr-Barcelona, 2012), Pasado Mañana (Barcelona: Arpa Editores, 2017) e Saudades de junho (Porto Alegre: Liquid Books, 2020) e participou de uma vintena de livros coletivos. Bernardo foi editor de livros como Junho: potência das redes e das ruas (São Paulo: Friedrich Foundation Brasil, 2015), Democracias Futuras (Madrid: Medialab Prado, 2019) e StoryCracia (Madrid: Medialab Prado, 2019). Bernardo foi chefe de comunicação e história dos laboratórios de inovação cidadã do Medialab Prado de Madrid de 2016 a 2019. Durante sua trajetória, desenvolveu projetos de participação urbana, como o Wikipraça (Prefeitura de São Paulo) e Ciudad.Decide (Prefeitura de Madrid). Bernardo foi consultor de instituições como a United Cities and Local Governments (UCLG), Instituto de Altos Estudios do Equador (IAEN), Transnational Institut (Amsterdã) e o Centro de Pesquisas Sociológicas (CIS) da Bolívia.

É coordenador do Grupo de Estudos Críticos (GEC), que nasceu vinculado ao Centro de Estudos do Museu Reina Sofía de Madrid, e membro fundador da Rede de Inovação Política da América Latina.

Carla Bonina

Carla Bonina é acadêmica e consultora estratégica com mais de 15 anos de experiência em inovação e economia digital. É assessora regular...

é acadêmica e consultora estratégica com mais de 15 anos de experiência em inovação e economia digital. É assessora regular de governos, organismos internacionais e startups em temas de governo e dados abertos, empreendimentos digitais e desenvolvimento sustentável especializada na América Latina. Seu trabalho foi publicado em livros editados pelo MIT Press, revistas indexadas como o Information Systems Journal e Government Information Quarterly. Carla é autora de relatórios do Banco Mundial e da OCDE, além de ser Professora Associada de Inovação e Empreendimentos na Surrey Business School, co-fundadora do Surrey Centre of Digital Economy e Pesquisadora Principal na Iniciativa Latino-Americana pelos Dados Abertos (ILDA). É Doutora em Management da London School of Economics (LSE) do Reino Unido.

Wilson Castañeda Castro

Wilson Castañeda Castro é cientista político da Universidade Nacional da Colômbia, professor de Filosofia da Universidade Pontifícia Bolivariana...

é cientista político da Universidade Nacional da Colômbia, professor de Filosofia da Universidade Pontifícia Bolivariana e Doutor da mesma universidade. Diretor da Caribe Afirmativo, organização da sociedade civil que promove o respeito e reconhecimento dos direitos de pessoas LGBT na região do Caribe Colombiano e envolvimento de pessoas LGBT no conflito armado da Colômbia devido à sua orientação sexual ou identidade de gênero. Acompanhou, na qualidade de especialista, a subcomissão de diálogos de paz entre o governo da Colômbia e as FARC e participa das consultas prévias dos diálogos entre o governo e o Exército de Libertação Nacional da Colômbia. Realizou pesquisas e escreveu artigos relacionados à participação do movimento LGBT na construção da paz. Docente nas Universidades de Antioquia, Nacional e Jorge Tadeo Lozano. Consultor do Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas PNUD.

A organização Caribe Afirmativo tem espaços de trabalho comunitário no pós-conflito chamados Casas de Paz, em quatro lugares com alto nível de envolvimento no conflito armado: Maicao, Guajira, Ciénaga, Magdalena, Soledad (Atlántico) e El Carmen (Bolívar), para preparar as pessoas LGBT e as comunidades para os cenários de reconciliação. A organização tem status consultivo na Organização dos Estados Americanos e participou de quatro audiências temáticas da CIDH e de consultas à sociedade civil das Nações Unidas.

www.caribeafirmativo.lgbt

PARCEIROS